Drogarias e Farmácias

quinta-feira, 6 de agosto de 2015

OBAMA DIZ QUE BOMBAS CHOVERÃO EM ISRAEL SE EUA REJEITAR ACORDO NUCLEAR



O presidente americano Barack Obama sabe que pode ter problemas caso o Congresso norte-americano
 vete o acordo nuclear com o Irã. Inimigo político do primeiro-ministro Benjamin Netayanu, o presidente
 americano fez uma ameaça velada ao Estado judeu em um discurso nesta semana.

Em um encontro com os 22 líderes judeus que ele convidou à Casa Branca, advertiu que caso o Congresso
 derrube o acordo nuclear iraniano, “foguetes do Hezbollah vão chover sobre Tel Aviv”.

Desde a guerra do Líbano de 2006, uma grande quantidade dos mísseis e foguetes lançados contra o
 território israelense foram fornecidos pelo Irã. O grupo terrorista Hezbollah é reconhecidamente ligado a
 Teerã.

Para Obama, o acordo nuclear irá manter a paz no Oriente Médio, pois os iranianos serão vigiados
 constantemente. Curiosamente, no mesmo dia, unidades do Hezbollah sob o comando de oficiais
iranianos estavam disparando pesados mísseis Zelzal 3 contra os rebeldes sírios na cidade de Zabadani,
que fica a apenas 200 km de Tel Aviv.

Em seu discurso no encontro que durou duas horas, Barack Obama declarou que se não houver acordo,
 dentro de pouco tempo haverá guerra entre os EUA e o Irã. Neste caso, quem pagará o preço será o
 Povo de Israel, pois seria impossível impedir os mísseis iranianos de atingirem Tel Aviv.

O presidente sabe que o lobby judeu é muito forte nos Estados Unidos e o fato dele não ter revelado
 todos os detalhes do acordo até agora, só aumentou as suspeitas.

O encontro do presidente ocorreu horas depois de o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu ter
 participado de uma conferência on-line, onde dialogou com influentes judeus americanos, membros
 da Federação Judaica da América do Norte e os presidentes das principais organizações judaicas dos EUA.

“Eu não me oponho a este acordo porque quero guerra. Eu me oponho a este acordo porque quero evitar a
guerra. Todo este acordo trará guerra”, enfatizou Neanyahu. Segundo os organizadores,mais de 10 mil
pessoas assistiram a conferência.

Ao contrário do que afirma Netanyahu, Obama disse que chamou o primeiro-ministro para conversar.
Também enfatizou que os EUA vão continuar a apoiar e ajudar a fortalecer a segurança de Israel.

A votação do congresso americano ocorrerá em setembro, e a imprensa americana tem divulgado que a
Casa Branca poderá ter dificuldades em conseguir a maioria.

Hoje (5) pela manhã, Obama fez um discurso nos mesmos termos, exortando o Congresso a aprovar o
 acordo nuclear com o Irã. Afirmou ainda que Netanyahu é sincero, mas está “errado”. Deixou claro
que Israel está sozinho em sua oposição ao acordo.

O presidente alertou que “Se matar este acordo, o Congresso não irá apenas pavimentar o caminho do
 Irã para a bomba nuclear, mas acelerá-lo”. Com informações de Times of Israel [2] e Haaretz

Via: Gospel Prime - Por Jarbas Aragão