Drogarias e Farmácias

quarta-feira, 23 de setembro de 2015

MÍDIA PROMOVE "DIREITOS DO PEDÓFILO"



Mídia esquerdista está agora á promover "direitos pedófilos" como o próximo movimento de "justiça social", não muito tempo depois que a Suprema Corte decidiu em favor de casamentos do mesmo sexo.

Salon.com publicou um op/ed por um pedófilo auto-descrito pedindo aos americanos para "aprender a aceitar" pedófilos e dar "compreensão e apoio" de sua "orientação sexual".

"Então, por favor, compreensão e apoio", escreveu Todd pedófilo Nickerson. "É realmente tudo o que pedimos de vocês."

Ele culpou sua "preferência sexual" em seu cérebro, enquanto afirmando que ele "não é um monstro."

"Em essência, o seu cérebro sabe o que gosta e não vai aceitar um não como resposta", continuou Nickerson. "Por essa razão, a natureza ou a criação questão que diz respeito à preferência sexual é, em última instância irrelevante - torna-se tudo, mas difícil em breve, até que tudo sabe, e é auto-reforço, não importa o quanto você deseja desenterrá-lo."

"Eventualmente, tudo emaranhados juntamente com o resto de quem você é."

Numerosos comentadores políticos previram que os pedófilos iria tentar sequestrar a decisão da Suprema Corte em 26 de junho sobre casamentos do mesmo sexo para argumentar que eles também estão "sofrendo" discriminação sobre sua orientação sexual "normal".

"Usando as mesmas táticas usadas por ativistas de direitos 'gay', pedófilos começaram a procurar estatuto semelhante argumentando seu desejo de ter filhos é uma orientação sexual diferente do que heterossexuais ou homossexuais", escreveu Jack Minor para o Colorado Gazeta do Norte.

Minor também acrescentou que "os psiquiatras estão começando agora a defender a redefinição pedofilia da mesma forma homossexualidade foi redefinido há vários anos."

Esta tendência teve início em 1998, quando a American Psychiatric Association afirmou que o "potencial negativo" de sexo adulto com crianças foi "exagerada" e que "a grande maioria dos homens e mulheres não relataram nenhum efeito sexuais negativas de experiências abuso sexual na infância."

E em 2014 Margo Kaplan, um professor assistente de direito na Universidade de Rutgers, argumentou em favor dos direitos civis para os pedófilos em um op / ed publicado pelo New York Times.

"Defendendo os direitos dos grupos desprezados e incompreendidos nunca é popular, especialmente quando eles estão associados com dano real, mas o fato de que a pedofilia é tão desprezado é precisamente por isso que as nossas respostas a ela, na justiça criminal e de saúde mental, ter sido tão inconsistente e contraproducente ", ela afirmou.

Simplificando, a pedofilia está a emergir como a próxima revolução "direitos sexuais".

Fonte: http://www.infowars.com/media-promotes-pedophile-rights/