Drogarias e Farmácias SCI Piracicaba

quinta-feira, 21 de julho de 2016

MARXISMO CULTURAL, UMA DOENÇA POR OSMOSE!



Marxismo Cultural
O Marxismo como o próprio nome diz é provindo de Karl Marx que nasceu no começo da revolução industrial, um período que estava sendo desenvolvido uma riqueza para humanidade através do método de produção capitalista e Marx previu isso.
Maddison_GDP_per_capita_1500-1950.svg

Seu problema em princípio, foi o interpretamento de que a revolução estava gerando a pobresa e explorando a classe alemã e a oprimindo, más se analisarmos ela não gerou, más sim, herdou. Veja que desconstruimos este conceito a partir do momento que vemos que as pessoas trabalhavam muito durante a revolução industrial por que sempre trabalharam muito antes da revolução industrial e não porque era uma opressão capitalista, era algo normal uma criança trabalhar 12 horas por dia antes e durante aquela época, então o que se deu conta foi a herança da pobreza e não o incentivo a ela, o que se deu conta através da revolução industrial é que agora podemos trabalhar 8 horas por dia e etc.
Para Karl Marx os empregadores, segundo ele injustiçado, deveriam tomar os meios de produção para si próprio, tomando fábricas e outros meios, podemos se dizer que até de forma armada da população. Para ele era de importância teorizar, criar um processo revolucionário.
Isso se torCadernosDoCarcereVol6-500x500.pngnaria teórico, más apareceu Antônio Gramsi, que foi preso durante 20 anos e em sua prisão escreveu mais de 30 livros que foram denominados como “Cadernos do Cárcere” onde ele mostra como praticar revolução em países com sua economia e democracia, digamos que em perfeito estado, de tal forma que teorizava a desconstrução através de seus meios.
Então estas formas de compreensão revolucionárias são uma deturpação Marxista na sociedade, e principalmente nas faculdades e também nas escolas públicas temos um ensino, não irei dizer por completo, más em uma grande vertente marxistas.
Retirando a explicação de Olavo de Carvalho vamos ter um conceito formal do Marxismo Cultural. A ideia básica do Marxismo cultural é uma desconstrução civilizacional onde é distorcidos os valores, critérios, símbolos e etc já que em seu real pensamento como o cristianismo já havia sido manifestado, as nações teriam uma ideia voltada mais a religião, então o principal combate não era o capitalismo em si, e sim a formação cristã. Temos as correntes da Escola de Frankford e de Antonio Gramsi que trabalham a mesma concepção, claro que existem diferenças semelhanças, más no fim, na prática vão dar na mesma coisa ao final.
A partir do Contexto da desconstrução civilizacional vemos que o comunismo começou a atuar em pequenas áreas onde fazem uma diferença em relação a construção mentalmente social sobre meios inigualáveis de pensamentos e que vai fazer o ser se revoltar com o atual e talvez certo meio de se pensar. Temos como um exemplo as escolas onde você tem a base do pensar e são distorcidos através de métodos Gramsianos se assim podemos dizer, e que são de natureza não notória e atacam pontos específicos que representam pilares da civilização, atacam o conceito sobre família, as bases do direito penal e civil e atacam ponto por ponto, e no Brasil temos o modelo soviético que escancararam as portas para e petrificação social onde causa uma revolução cultural. Então, como atualmente as coisas ficam mais fácil de descobrir tome como exemplo os movimentos vitimistas gayzistas, negros (ATENÇÃO: O movimento negro), feministas que tentam deturpar a sociedade e fazer revolução cultural, uma das práticas que se adere dentro do movimento feminista é o aborto, onde temos várias provas que tentam colocar na sociedade sendo algo normal, e além disso, dentro destes movimentos tem o uso de drogas pró aborto.
“O Marxismo Cultural deve ser combatido, caso contrário viraremos refém de uma ideologia alienadora que destruirá nossa família.”

Fonte: AvançoModesto