Drogarias e Farmácias

sábado, 20 de maio de 2017

IMORALIDADE TUCANA: ALCKMIN E DÓRIA INSTITUEM ‘BANHEIRO TRANS’ EM ESCOLAS PÚBLICAS


O que poderíamos esperar de socialistas globalistas como os tucanos do PSDB? O governador Geraldo Alckmin e o prefeito João Dória são apenas marionetes da agenda promíscua da ONU, que visa destruir famílias, principalmente nossas crianças! Além de perseguir cristãos e islamizar o país.

Me questiono também, qual será a justificativa de líderes evangélicos como Silas Malafaia e Robson Rodovalho que apoiaram (e ainda apoiam) estes dois políticos perversos...

Como vemos aqui:  Eleições 2018: “João Doria será um ótimo presidente”, afirma pastor Silas Malafaia.
---

O governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin, não parece estar disposto a brecar sua firme trajetória rumo ao ocaso de sua carreira. Após diversos escândalos envolvendo o fornecimento de merenda em seu governo, Geraldo resolveu inovar e instituir, através de sua secretaria de educação, o conceito da “ideologia de gênero” nas escolas estaduais de São Paulo.

Conforme anuncia o site oficial da secretaria de educação, “todos os alunos devem usar o banheiro de acordo com o gênero que se reconhecem. As escolas devem seguir a lei estadual nº 10.948, que versa sobre discriminação em razão de orientação sexual e identidade de gênero. Direito garantido aos alunos paulistas, já chega a 365 o número de estudantes que usam o nome social.“

Ao desrespeitar a liberdade das crianças em usar o banheiro de acordo com seu sexo, expondo jovens à constrangimentos ímpares, o governador paulista entra em choque não apenas com seus pais, mas também com a Convenção Americana de Direitos Humanos (CADH) , a qual o Brasil é signatário.

O art. 12 da CADH diz o seguinte:

“Os pais têm direito a que seus filhos recebam a educação religiosa e moral que esteja de acordo com suas próprias convicções.”

A CADH é um tratado internacional assinado pelo governo brasileiro que tem força de lei no Brasil desde 1992. Ou melhor: de acordo com o Supremo Tribunal Federal, a CADH, por ser um tratado sobre direitos humanos, está no mesmo nível hierárquico da Constituição Federal.

Ao dizer que os pais têm direito a que seus filhos recebam a educação moral que esteja de acordo com suas próprias convicções, a CADH está reconhecendo aos pais o direito de decidir a educação moral que será transmitida a seus filhos. A medida do governador, portanto, viola este direito e impõe uma visão ideologizada sobre a questão de gênero e sexualidade sobre a população de São Paulo.

Secretário de Dória também aprova medida

Após recente polêmica com o vereador Fernando Holiday, o Secretário Municipal de educação de São Paulo, Alexandre Schneider, recebeu forte apoio de ONGs e instituições de esquerda que patrocinam a causa da ideologia de gênero nas escolas brasileiras.

Forte opositor do projeto “Escola Sem Partido”, Schneider é bancado politicamente por figuras controversas da elite paulistana – todas elas ligadas à agenda da manipulação sexual de menores, sob a cínica alcunha de “ideologia de gênero”.



Via: http://jornalivre.com/2017/05/17/alckmin-institui-banheiro-trans-em-escolas-publicas-psdb-finalmente-se-iguala-ao-psol/