BitMiner - free and simple next generation Bitcoin mining software

segunda-feira, 12 de junho de 2017

INACREDITÁVEL: DEIXOU DE SER TEORIA DA CONSPIRAÇÃO! ELITE PAGA ABERTAMENTE POR SANGUE DE JOVENS


O que uma vez foi conversa de teóricos da conspiração - a rica ingestão de sangue de jovens para promover a longevidade - é agora uma realidade e um negócio real nos Estados Unidos. Não é somente um negócio, mas os bilionários estão realmente admitindo seu interesse nisso.

"Eu estou pesquisando coisas de parabiose, as quais acho muito interessantes. Foi daqui que eles colocaram o sangue jovem em ratos mais velhos e descobriram que teve um efeito rejuvenescedor maciço", disse Peter Thiel, co-fundador bilionário do PayPal e assessor de Donald Trump, à revista Inc. "Eu acho que há muitas dessas coisas que foram estranhamente sub-exploradas".

Mas não é mais um experimento com apenas ratos. A empresa startup de Jesse Karmazin, Ambrosia, está fazendo isso com humanos, e os ricos estão na fila para obter o sangue de jovens.

Como a Vanity Fair relata, a Ambrosia, a qual compra seu sangue de bancos de sangue, agora tem cerca de 100 clientes pagantes. Alguns são tecnólogos do Vale do Silício, como Thiel, embora Karmazin tenha enfatizado que o pessoal da tecnologia não são os únicos clientes da Ambrosia e que qualquer pessoa com mais de 35 anos é elegível para suas transfusões.

Como o site The Free Thought Project informou em janeiro, um estudo publicado na revista Science and Nature Medicine revelou que a transfusão de sangue de rato jovem em ratos idosos pode realmente prevenir os sintomas do envelhecimento. Esta descoberta inovadora poderia levar a descobertas médicas e ao desenvolvimento de novos medicamentos. No entanto, um relatório do site sobre saúde Tonic, apontou aplicações muito mais sinistras para esse conhecimento.

Foi sugerido no relatório que as elites envelhecidas estão usando o sangue de jovens como um tipo de soro juvenil. Agora, sabemos que eles realmente estão usando isso.

Uma afirmação semelhante foi feita pelo jornalista Jeff Bercovici no ano passado, depois que ele realizou várias entrevistas com os aristocratas do Vale do Silício, incluindo Peter Thiel, e aprendeu sobre esse procedimento de transfusão chamado "parabiose", onde o sangue dos jovens é usado para prevenir o envelhecimento.

"Há rumores generalizados no Vale do Silício, onde a ciência da extensão da vida é uma obsessão popular, que vários indivíduos ricos do mundo tecnológico já começaram a praticar a parabiose, gastando dezenas de milhares de dólares para os procedimentos e sangue de jovens, e repetindo o exercício várias vezes ao ano", relatou Bercovici.

Em seu artigo, Bercovici também expressou preocupações sobre um mercado negro em desenvolvimento para o sangue dos jovens.

Embora certamente não haja nada com jovens dispostos a vender seu sangue à elite, o tema subjacente a esta prática tem fortes raízes no ocultismo.

Na maioria das culturas modernas, o assassinato em massa e o sacrifício humano ainda ocorrem às claras sob a capa da guerra, enquanto muitos argumentam que o canibalismo também ainda ocorre, mas por trás de portas fechadas.



Somente nos últimos cem anos que a prática do canibalismo entre os membros da realeza não foi divulgada. Na Europa, em torno da época da revolução americana, "a medicina do cadáver" era muito popular entre a classe dominante, Charles II fazia seus próprios medicamentos.





O Dr. Richard Sugg da Universidade de Durham realizou uma extensa pesquisa sobre a prática de medicina do cadáver entre a realeza.

"O corpo humano tem sido amplamente utilizado como agente terapêutico com os tratamentos mais populares envolvendo carne, osso ou sangue. O canibalismo foi encontrado não só no Novo Mundo, como costuma ser considerado, mas também na Europa", disse Sugg.

"Uma coisa que raramente ensinamos na escola que é evidenciada em textos literários e históricos da época é a seguinte: James I recusava remédios de cadáver; Charles II fazia seus próprios remédios de cadáver, e o cadáver de Charles I foi transformado em remédios. Junto com Charles II, usuários ou prescritores eminentes incluíram Francis I, o cirurgião de Elizabeth I, John Banister, Elizabeth Gray, a condessa de Kent, Robert Boyle, Thomas Willis, William III e a rainha Mary", acrescentou.

Se isso não fosse estranho o suficiente, a atual família real da Inglaterra afirma ser descendentes diretos do Príncipe Vlad III da Valáquia (Romênia moderna). Este era o governante doente e depravado, Vlad, o Empalador, que era conhecido como um assassino e que eventualmente tornou-se a inspiração para as histórias de vampiros mais famosas da história.

Além dos horríveis antecedentes históricos e ocultos de tais práticas, há uma falta de dados que sugerem que o processo ainda funciona. Apesar das afirmações de Karmazin de que "o sangue jovem está causando mudanças que parecem reverter o processo de envelhecimento", os cientistas ainda não identificaram um vínculo entre as transfusões de sangue dos jovens e quaisquer benefícios tangíveis para a saúde.

"Não há nenhuma evidência clínica [de que o tratamento será benéfico], e basicamente você está abusando da confiança das pessoas e da emoção pública em torno disso", disse o neurocientista da Universidade de Stanford, Tony Wyss-Coray, que realizou um estudo de 2014 sobre o plasma sanguíneo jovem em camundongos, à revista Science no verão passado, conforme relatado pela Vanity Fair.