Drogarias e Farmácias

quinta-feira, 28 de setembro de 2017

JOÃO DÓRIA HOMENAGEIA GUERRILHEIROS E TERRORISTAS EM SÃO PAULO. ESSE É O CANDIDATO DE SILAS MALAFAIA E CIA?


Esse é o candidato que os líderes evangélicos, como Silas Malafaia, irão apoiar?

Depois de estimular a chegada indiscriminada de muçulmanos, e a implantação de banheiros transgêneros, o prefeito João Dória Júnior, virtual candidato à presidência no ano que vem, irá organizar (com dinheiro público) um evento que homenageará guerrilheiros assassinos que pretendiam estabelecer uma ditadura comunista no Brasil!

---

O prefeito tucano de São Paulo, o socialista fabiano João Doria, promoverá uma homenagem oficial da prefeitura da cidade a terroristas e guerrilheiros comunistas e assassinos que pertenceram aos grupos revolucionários que promoveram ações de terrorismo, luta armada, sequestros e justiçamentos dos seus durante o período do regime militar. A homenagem será feita por meio da colocação de placas em três cemitérios públicos da cidade. Um total de cinquenta e três guerrilheiros terroristas comunistas serão homenageados em cerimônias oficiais do poder público municipal, que consistirão no descerramento das placas nos três cemitérios municipais mencionados.

A homenagem aos terroristas e guerrilheiros comunistas é uma iniciativa oficial da prefeitura paulistana chefiada por João Doria, por intermédio da Secretaria de Direitos Humanos do município e outros órgãos. Dentre os homenageados estão o guerrilheiro e assassino Carlos Marighella, bem como organizações e grupos terroristas que promoveram a luta a armada e o terrorismo urbano no país por meio de atentados a bomba, assaltos e sequestros. A homenagem já foi realizada em um dos cemitérios públicos da cidade. As próximas cerimônia de homenagens aos comunistas estão marcadas para os dia 18 e 26 desse mês nos cemitério de Campo Grande e de Vila Formosa, respectivamente.

Esta iniciativa da prefeitura comandada pelo tucano João Doria de homenagear os guerrilheiros e terroristas que aspiravam implantar um regime comunista no país está em linha com ações semelhantes de adesão a uma pauta de esquerda globalista que caracteriza a gestão tucana na prefeitura paulistana, bem como com a longa trajetória política do prefeito, ainda que temperada com alguns itens de um programa liberal. Entre estas outras ações estão o apoio dado pela Secretaria de Direitos Humanos da Prefeitura aos palestinos que promoveram no mês maio um ato de terrorismo em São Paulo contra manifestantes contrários à nova lei de imigração.

Inclui-se também nessas outras ações o apoio institucional dado pela prefeitura a iniciativas de proselitismo muçulmano na periferia da cidade, através da iniciativa Islã Carinhosopromovido por uma ONG, sob pretexto de apoio a um programa social. E soma-se a estas iniciativas a incapacidade da prefeitura de resolver o programa da cracolândia em São Paulo e manter na região, basicamente, a mesma política empreendida pela antiga gestão petista. E poderíamos nos estender incluindo questões como a manutenção das miseráveis ciclofaixas, do fechamento e deterioração da Avenida Paulista aos domingos, financiamento da Parada Gay, diferenciação em alguns serviços públicos municipais para o atendimento de público transsexual, tentativa de promover aumento do imposto municipal sobre propriedade, entre outros.

O fato é que bastou menos de um ano de gestão para que o poderoso e eficiente marketing de João Doria começasse perder seu efeito mágico e enganador. A tentativa de apresentar o velho político socialdemocrata tucano como aquilo que ele não é, e ocultar quem ele realmente é e sempre foi em seus mais de trinta anos de carreira política, produziu efeitos durante um período, chegando até mesmo a seduzir segmentos liberais. Uma sedução forte o bastante que levou esses segmentos a acreditar que João Doria poderia representar a opção para uma imaginária nova direita que estaria surgindo no país.

Mas a realidade tem falado mais alto do que o wishful thinking político de determinados segmentos liberais. As iniciativas da gestão João Doria na prefeitura, bem como suas manifestações, ou mesmo seus silêncios convenientes, sobre fatos políticos nacionais ou mesmo internacionais confirmam o que o Crítica Nacional vem dizendo desde o ano passado: João Doria representa a continuidade de um projeto da esquerda socialdemocrata, alinhado a interesses globalistas internacionais, especialmente o bloco islâmico, repaginado com alguns itens de uma pauta liberal na economia. Representa a velha esquerda de roupa nova, que pretenderá levar adiante a mesma agenda progressista-globalista em andamento no país nas últimas décadas, e que é a principal responsável por nossas mazelas.

Com informações de Fernanda Salles do Canal Terça-Livre, cuja reportagem encontra-se reproduzido no vídeo abaixo. #CriticaNacional #TrueNews - https://youtu.be/bewGPtkSJl0

VEJA O VÍDEO: 




Via Crítica Nacional