Drogarias e Farmácias

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

Protesto esquerdista em universidade tem defesa da 'morte aos cristãos'


Confusão ocorreu por causa da exibição do documentário “O Jardim das Aflições”, sobre Olavo de Carvalho


Era para ser apenas a exibição de um filme, mas acabou em luta corporal. Em meio aos protestos e palavras de ordem dos estudantes da Universidade Federal da Bahia (UFBA) ligados a movimentos de esquerda, um pedido se destacava. “Morte aos cristãos”, dizia a mensagem carregada por um dos manifestantes.
O tumulto ocorreu na noite de segunda-feira (13). A exibição do documentário “O Jardim das Aflições”, sobre Olavo de Carvalho, chegou a ser cancelada pela UFBA após pressão dos militantes de esquerda. Quando o assunto chamou atenção da mídia, a universidade acabou voltando atrás e o longa acabou exibido na parede da biblioteca do campus.
A exemplo do que ocorreu em outras universidades, a violência dos estudantes esquerdistas chama a atenção por ser injustificada. As pessoas que assistiam ao filme foram agredidas e chamadas de “fascistas”.
Os protestos e a tentativa de censura não se justificam por serem feitos pelos mesmos que reclamam constantemente de serem vítimas de “preconceito” e de “censura”.
A imagem do cartaz, com a frase “morte aos cristãos”, acabou sendo amplamente difundida nas redes sociais. De certa forma, torna-se mais um símbolo do aparelhamento ideológico que tomou conta das universidades públicas do país durante o governo do Partido dos Trabalhadores. Afinal, as pessoas agredidas estavam apenas querendo assistir a um filme, que sequer era sobre Jesus.
Os responsáveis pela confusão são ligados ao PCO (Partido da Causa Operária) e UJS (União da Juventude Socialista). Nos regimes comunistas, causa defendida por eles, os cristãos sempre foram perseguidos e mortos, pois o ateísmo é um dos ideais marxistas. Com informações de ILISP
Assista: