Drogarias e Farmácias

sexta-feira, 22 de dezembro de 2017

POR QUE O FACEBOOK CONCEDE LIBERDADE DE EXPRESSÃO PARA RADICAIS ANTICRISTÃOS E IMPÕE CENSURA NOS CRISTÃOS?



O blogueiro Julio Severo relata também que tem enfrentado censura do Facebook, assim como aconteceu com o nosso site...
O Facebook me deu esta mensagem:
Nós Removemos Algo que Você Postou
Parece que algo que você postou não segue nossos Padrões Comunitários. No Facebook, não permitimos ofertas de serviços sexuais, solicitação de materiais sexuais, ameaças ou exibições de violência sexual, ameaças de compartilhar imagens íntimas ou qualquer conteúdo sexual envolvendo menores de idade.
Como cristãos, precisamos amar os homossexuais, os assassinos, os estupradores, os pedófilos e todos os outros pecadores. Só o amor de Jesus pode fazer isso em nós.


Então o Facebook removeu meu comentário (não post) feito no post de um amigo cristão, que curtiu o comentário. Mas obviamente o Facebook não o curtiu. Estranhamente, o Facebook viu no meu comentário alguma das seguintes descrições: “ofertas de serviços sexuais, solicitação de materiais sexuais, ameaças ou exibições de violência sexual, ameaças de compartilhar imagens íntimas ou qualquer conteúdo sexual 
envolvendo menores de idade.”
Expressar amor pelos pecadores é “ofertas de serviços sexuais”? É “solicitação de materiais sexuais”? É “ameaças ou exibições de violência sexual”? É “ameaças de compartilhar imagens íntimas ou qualquer conteúdo sexual envolvendo menores de idade”?
Estou no escuro se o Facebook proíbe os cristãos de amar pecadores. Esse tipo de amor não leva os cristãos a se envolver em pecados. Leva-os a pregar o Evangelho aos pecadores. O Facebook se tornou poderoso numa América fundada por cristãos que odiavam o pecado, amavam os pecadores e pregavam o Evangelho a eles.
De acordo com a lei do Facebook, não posso amar ou pregar o Evangelho para os homossexuais, os assassinos, os estupradores, os pedófilos e todos os outros pecadores?
Por que não?
Entretanto, o Facebook não só removeu meu comentário. Deu-me também a seguinte mensagem:
Você Está Temporariamente Bloqueado de Postar
Esse bloqueio temporário durará 30 dias, e você não poderá postar no Facebook até seu término.
Você tem repetidamente postado coisas que não são permitidas no Facebook. Leia os Padrões Comunitários do Facebook para aprender quais tipos de posts não são permitidos.


Então porque o Facebook não gosta de cristãos dispostos a amar e pregar o Evangelho para os homossexuais, os assassinos, os estupradores, os pedófilos e todos os outros pecadores, me bloqueou, impondo em mim uma proibição de 30 dias em minha comunicação mediante meu perfil pessoal de Facebook.
Muitas vezes, quando denunciei xingamentos e linguagem suja contra minhas opiniões cristãs e contra os cristãos, o Facebook me deu a resposta automática de que não podia fazer nada. Toda vez que eu denunciava linguagem abusiva, o Facebook dizia:
“Obrigado por nos informar sobre isso. Examinamos o comentário, e embora não viole nenhum de nossos Padrões Comunitários específicos, você fez a coisa certa nos informando sobre isso. Ninguém deveria se sentir intimidado ou assediado no Facebook, e lamentamos que você teve essa experiência.”


A linguagem abusiva contra minhas opiniões cristãs e contra os cristãos foi considerada pelo Facebook como não violando seus Padrões Comunitários.
Mas meu comentário geral, que não atacou ninguém especificamente, foi considerado abusivo: “ofertas de serviços sexuais, solicitação de materiais sexuais, ameaças ou exibições de violência sexual, ameaças de compartilhar imagens íntimas ou qualquer conteúdo sexual envolvendo menores de idade.”
O Facebook não quer que os cristãos sejam cristãos no Facebook. Se o Facebook tem um problema com religião, fico pensando se o mesmo tratamento é aplicado aos muçulmanos.
Em julho passado, a Fundação de Defesa da Liberdade da Consciência, com sede na Califórnia, enviou uma carta legal oficial aos advogados do Facebook ameaçando ação legal depois que o Facebook removeu um post escrito por mim e me bloqueou por 30 dias.
Depois da ameaça, o Facebook disse:
“Um membro de nossa equipe removeu acidentalmente algo que você postou no Facebook. Isso foi um engano, e pedimos desculpas sinceras por esse erro. Já restauramos o conteúdo, e você agora pode vê-lo.”
Será que algum bom advogado pode enviar uma carta ao Facebook para lhes perguntar se, como cristão, tenho permissão de expressar que amo os homossexuais, os assassinos, os estupradores, os pedófilos e todos os outros pecadores no interesse cristão de pregar o Evangelho a eles?
Será que o Facebook poderia ser específico e dizer que os cristãos são proibidos de ter direitos de livre expressão em sua mídia social?




Via http://juliosevero.blogspot.com.br