Drogarias e Farmácias

quarta-feira, 4 de abril de 2018

'SHARIA-ZONE': PROMOTOR-CHEFE DA SUÉCIA ADMITE QUE 'A POLÍCIA NÃO PODE IMPOR A LEI EM ÁREAS CONTROLADAS POR IMIGRANTES MUÇULMANOS'


'Uma zona de guerra': motins e carros queimados no distrito de emigrantes de Estocolmo. O promotor-chefe da Suécia alertou que um distrito na capital, com uma grande população de imigrantes, está se tornando uma "zona de guerra". 

A Suécia está dando as costas à sua própria cultura, Tudo em nome do multiculturalismo. 
A Suécia quer adotar a cultura dos imigrantes para mostrar respeito e fazer com que se sintam bem-vindos. 

A maioria dos imigrantes que chegaram à Suécia não são refugiados da Síria. Eles são imigrantes muçulmanos da África, Ásia e Oriente Médio que exploraram o fluxo de imigrantes da Síria para invadir a Europa como “refugiados”.

Liberais e esquerdistas no Ocidente usam o termo inventado “islamofobia” para retratar qualquer um que critique o Islã como “racista”. 

Os terroristas radicais muçulmanos em todo o mundo realizam ataques terroristas "em nome de Alá". 
Eles justificam sua violência citando versículos do Alcorão. 

A islamofobia é uma palavra inventada criada pela Irmandade Muçulmana especificamente para silenciar o debate. 

Liberais e esquerdistas ignoram o fato de que o Islã é uma ideologia que nada tem a ver com raça. 
A islamofobia é um neologismo criado para silenciar qualquer possível debate sobre os problemas que o extremismo islâmico tem com a modernidade, com a intenção de usar a “culpa” pós-colonial coletiva para isentar um conjunto particular de crenças do escrutínio, análise e crítica.


Via https://gellerreport.com/2018/03/sweden-no-go-zones-war-zones.html/